10/04/2015

Entre Nós - Entrevista com a Simone Taietti

Oi pessoal, tudo bem?
A Entrevista de hoje é com a Simone Taietti, autora do livro "Uma Vida para Sempre" que foi resenhado aqui no mimosa. Ela contou um pouco sobre o livro, a Ethel, e ainda falou um pouco sobre seu novo livro que já tem até título! Descubra um pouco sobre os teoremas da Simone Taietti. 


Equipe - Uma coisa que me chamou bastante atenção é o quanto você detalha as doenças, especifica tudo, você fez alguma pesquisa antes de começar a escrever o livro?

Simone Taietti - Para tornar a escrita o mais verossímil possível pesquisei bastante sobre as doenças, tanto a Leucemia Mieloide Aguda quanto a CIPA.

Equipe - Da onde surgiu a ideia de fazer um livro com esse tema? Confesso, que chorei muito no final do livro. 

Simone Taietti - A ideia é antiga, vinha de cerca de quatro anos. A morte sempre foi uma grande questão para mim. Tenho uma inclinação para as indagações filosóficas e essa coisa de “para onde vamos”, “o que nos espera quando simplesmente pararmos de respirar” sempre me chamou muito a atenção. Neste ínterim, escrevi um esboço de uma história, na qual um homem de meia idade vagava por hospitais ouvindo as histórias dos pacientes. Este esboço esteve guardado por todo este tempo e com a popularização do subgênero Sick-Lit acabei encontrando um segmento bacana no qual poderia encaixar essa ideia precípua. Aí resolvi adaptar um pouco, modificando a história, incluindo personagens. E assim nasceu Uma vida para sempre.

Equipe - Esta é sua primeira obra lançada ou já existem outros livros seus? Como você descobriu que queria ser escritora, que gostaria de publicar um livro? 

Simone Taietti - É o primeiro livro a ser publicado, apesar de ser o segundo que escrevi. Descobri esta paixão pelas palavras aos doze anos de idade, em uma aula de Língua Portuguesa e Literatura fazendo um exercício que a professora havia pedido. Já amava ler, mas foi com essa idade que tive o insight necessário e me descobri, por assim dizer, na escrita.

Equipe - Não sei se estou sendo a primeira a fazer uma alusão do seu livro, com o famoso livro do John Green, A Culpa é das Estrelas, mas depois da leitura ficou inevitável não liga um ao outro. Até comentei isto na resenha, também ficou difícil escolher qual a melhor obra. Contudo seu livro tem um quê especial, os personagens modificam ao logo do enredo, trazendo novos contextos. Mas fala ai, você se incomoda que sua obra seja comparada a outra? Quais outros livros as pessoas dizem que lembram sua obra? 

Simone Taietti - É bem comum esta comparação, até porque ambas as obras pertencem ao mesmo subgênero. Reconheço que há algumas semelhanças, mas o que mais me deixa feliz é que em todas as resenhas que tenho lido sobre o livro as diferenças – que são maiores que as semelhanças – estão bem pontuadas. Mas esta comparação não me incomoda de maneira nenhuma, afinal, A Culpa é das Estrelas traz uma história muito bonita e alcançou grande sucesso. Quanto a comparação com outros livros, ninguém apontou até agora. Mas há outros conhecidos que também pertencem a este subgênero, a exemplo de Antes de Morrer, da Jenny Downham e Como Viver Eternamente, da Sally Nicholls.

Equipe - Para você, qual o verdadeiro para sempre? 

Simone Taietti - É bem comum esta comparação, até porque ambas as obras pertencem ao mesmo subgênero. Reconheço que há algumas semelhanças, mas o que mais me deixa feliz é que em todas as resenhas que tenho lido sobre o livro as diferenças – que são maiores que as semelhanças – estão bem pontuadas. Mas esta comparação não me incomoda de maneira nenhuma, afinal, A Culpa é das Estrelas traz uma história muito bonita e alcançou grande sucesso. Quanto a comparação com outros livros, ninguém apontou até agora. Mas há outros conhecidos que também pertencem a este subgênero, a exemplo de Antes de Morrer, da Jenny Downham e Como Viver Eternamente, da Sally Nicholls.

Equipe - Quais são seus autores nacionais e internacionais favoritos? 

Simone Taietti - Cito dois especificamente. Machado de Assis (sua acidez me conquistou desde os tempos de escola) e Jodi Picoult (com quem aprendi a gostar das histórias de drama, principalmente, o drama familiar, no qual a considero a melhor).

Equipe - Minha parte favorita do livro é quando ela descobre que estar apaixonada pelo Victor e nunca sentiu isso. Primeira paixão é algo sempre marcante na vida, você lembra qual foi sua primeira paixão? 

Simone Taietti - É muito marcante mesmo. E creio que todos têm aquelas paixões de infância, sempre platônicas. (risos) Vou citar esta, quando tinha cerca de seis anos e escrevia cartinhas para um vizinho, na época com treze anos. Nem entendia o que estava sentindo, mas é uma lembrança que sempre me faz rir. Sem contar que ele continua sendo meu vizinho e lembro-me dessa história toda vez que o vejo. (risos)

Equipe - A Novo Século possui o selo de talentos da literatura brasileira, um grande incentivo a escritores brasileiros e no qual você faz parte. O que você sente em fazer parte deste clube? Você acha que todas as editoras deveriam ter um selo especifico para autores brasileiros? 

Simone Taietti - É um incentivo muito importante, uma vez que a literatura nacional infelizmente é pouco difundida. Atualmente, há um maior reconhecimento, mas ainda se consome muito mais literatura estrangeira que literatura nacional em nosso país. E tem muita gente talentosa por ai. Selos como este nos ajudam a conquistar algum reconhecimento.

Equipe - Qual a melhor coisa de ser escritora? 

Simone Taietti - As mensagens lindas que recebo de leitores falando sobre o que acharam do livro. Emociono-me com cada uma delas. É uma delícia.

Equipe - Além de ser escritora, qual sua outra profissão? Como concilia a escrita com sua outra profissão? 

Simone Taietti - Sou Assessora Parlamentar na Câmara de Vereadores da minha cidade. Trabalho apenas meio período e conciliar com a profissão não é tão difícil. O mais difícil é conciliar a escrita (e amor pelos livros de literatura) com a faculdade. Estou na sétima fase do curso de Direito e gostar de ler para este curso é fundamental. Contudo, são as doutrinas, livros voltados para os componentes curriculares do curso. Algumas leituras são agradáveis, mas não se comparam com a literatura propriamente dita. Fazer o que? Sou apaixonada pela ficção, (risos). 

Equipe - Mata um pouco minha curiosidade, você já tem projetos de lançamentos de novos livros? Conta um pouco pra gente! 

Simone Taietti - Creio que o próximo livro a ser lançado será este que já tenho escrito, e tem por título “As Pipas de Agosto”. Trata-se de um romance mais sóbrio, denso e truncado. É uma espécie de livro de memórias de um médico chamado Gabriel que, no início de sua carreira, fez justiça com as próprias mãos assassinando um pedófilo que estava sob seus cuidados, e foi condenado e preso por isso. Mas ainda não há previsão para lançamento. 

Equipe - Se você pudesse ser um personagem do seu livro, qual seria e porquê? 

Simone Taietti - Tentei construir personagens, sobretudo, humanos, com seus erros, medos e características bem particulares. Confesso que uma personagem que gostei muito de criar foi a Gertrud, a senhorinha amiga da Ethel. Espero ter a dádiva de poder envelhecer e desfrutar da bagagem e experiência que adquirir durante a vida. A sabedoria mais pura que existe nos é dada conforme envelhecemos. E quero usufruir o máximo possível dessa sabedoria. 

Equipe - Para finalizar, qual recado você deixa aos seus leitores e aos jovens que desejam entrar no mundo da escrita? 

Simone Taietti - Há bem pouco tempo eu acreditava que não seria capaz de concluir uma história longa. Tanto que escrevi durante cinco anos, dos doze aos dezessete, apenas poesias, textos críticos, crônicas e contos, pois se tratavam de histórias curtas, que podiam ser “facilmente” finalizadas. Tinha medo (e esta é a palavra) de me aventurar em uma história longa. Mas um dia resolvi tentar, timidamente. E hoje, aos vinte anos, olho para trás e revivo estes sentimentos, tendo dois livros escritos e um já publicado. Não que isso seja grande coisa, (risos). Mas o que quero dizer com isso é que medo todos sentem. Isso não é covardia, é perspicácia. O importante é enfrentá-lo e tentar. Sempre tentar. Pois o arrependimento é um dos piores sentimentos que existem. Então, se você que agora lê esta entrevista gosta de escrever, vá em frente. Tente quantas vezes forem necessárias. Precisamos cada vez mais de “cultivadores” das palavras. :D E por fim, agradeço imensamente a todos os leitores. É inenarrável a emoção que sinto com todo este carinho. Obrigada!!! 

Equipe - Obrigada pela disponibilidade, fiquei bastante grata por ler sua obra e pela confiança! Sucesso!

Simone Taietti - Agradeço também a equipe do blog Teoremas da Mimosa por esta oportunidade. Adorei a entrevista. Obrigada, sinceramente! Super beijo a todos.


18 comentários:

  1. Parabéns, a entrevista foi legal e ela realmente parece ser simpática, legal e atenciosa! Parabéns, meninas. Beijos
    http://cantinhodaloo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. muito legal a entrevista, não conhecia a autora, o livro chama atenção pelo nome
    Beijos
    ** https://www.youtube.com/crisartigosfemininos **

    ** http://crisartigosfemininos.blogspot.com.br/ **

    ResponderExcluir
  3. Legal a entrevista, não a conhecia. É bom saber como a autora pensa, o que faz além de escrever, eu li a resenha do livro acho que aqui msm, achei interessnte mas não me atraiu pq eu pensei automaticamente em A culpa é das Estrelas rs não aguento mais romances assim, sou muito chorona haha bjoks

    ResponderExcluir
  4. Adorei a entrevista e fiquei muito curiosa para ler o livro da autora. Adoro esse selo da Novo Século, por ele conheci títulos maravilhosos. Sucesso a autora!

    Beijos, Gabi
    www.reinodaloucura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista com a Simone e achei bem legal em saber que ela lançou o primeiro livro.
    Bjus
    Jaque
    www.quebreiaregra.com.br

    ResponderExcluir
  6. Que legal, emocionante lançar o primeiro livro! parabéns! bjo

    ResponderExcluir
  7. Muito legal a entrevista, ela parece ser muito simpática mesmo.
    E a resenha do livro eu já havia lido aqui no seu blog mesmo.
    Fiquei curiosa por esse novo projeto dela "As pipas de Agosto", vamos esperar para ver.
    Bjinhos.
    www.prosaamiga.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que bacana hein. Parabéns pela entrevista.
    Sonhava em ser escritora um dia.
    Gostava muito de escrever.
    Hoje nem compondo estou mais. :/
    Bjão

    www.blogdajeu.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá flor tudo bem? não conhecia ela, achei bem bacana a entrevista, então o bom das entrevistas é da para conhecer um pouco mais sobre as pessoas né, fiquei curiosa em conhecer os livros dela. beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Não conhecia essa autora...e já achei interessante o livro dela ser comparado com "A culpa é das Estrelas", me deu vontade de ler o livro só para ver se realmente parece, kkkk...
    Ótima entrevista...Parabéns!
    Vou lá ver a sua resenha sobre o livro!
    Lindo fim de semana!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
  11. Já tinha visto a sinopse do livro dela acredito que aqui mesmo no seu blog e comentei que achei super interessante o fato dela trazer as doenças pois é uma forma de informação. E volta a falar a mesma coisa...bacana saber que ela estuda antes e realmente passa uma historia bem real. Achei ela bem simpática.
    Bjão,
    Pri
    www.pareinos25.com

    ResponderExcluir
  12. Entrevista foi muito boa legal poder conhecer mais sobre a Simone. Eu não li ainda o livro , mas já dei uma espiadinha pra ler a resenha. Beijos

    ResponderExcluir
  13. nossa, ela parece ser muito atenciosa com os leitores. amei a entrevista com ela.

    ResponderExcluir
  14. Parabéns Luanna pela entrevista! Não conhecia a autora e nem o livro...mas confesso q fiquei super curiosa pra ler! Esse tipo de história me comove bastante...vou procurar!
    Beijinhos sua linda :*
    Www.estiloaqualquercusto.com

    ResponderExcluir
  15. Já fiquei interessada em ler o livro, parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
  16. Gostei muito da entrevista, ainda não conhecia a autora e nem o livro. Mas a história parece ser bem interessante. Concordo com ela, também amo os livros de Machado de Assis <3 Parabéns pela entrevista! Beijos, Érika

    www.queroseralice.com.br

    ResponderExcluir
  17. Comentário um pouco atrasado, porém muito válido - aliás, não é sempre que temos a oportunidade de entrevistar alguém assim, não é mesmo?
    Parabéns pela entrevista.
    bjs
    WWW.PAINELPARACONGRESSO.COM

    ResponderExcluir